Mídias Sociais: 5 razões para investir nelas agora

Diante da era da revolução dos meios de comunicação, adaptar-se à uma nova forma de conversar com os públicos já não é mais uma opção. E, é claro, as mídias sociais protagonizam nesse cenário como meio democrático enquanto veículo de diálogo.

Considerando ainda que o Brasil é o quarto país no mundo em número de usuários ativos da internet, contando com mais de 120 milhões de internautas, não podemos ignorar que esse público pesquisa, se informa e propaga sua opinião pelas redes sociais.

Frente ao novo comportamento da geração Y, formada consideravelmente por heavy users das mídias sociais, as marcas não apenas precisam se adequar as expectativas dos usuários – cada vez mais exigentes, como também dar a eles espaço para se manifestarem.

Em pesquisas recentes  temos dados que revelam que 97% das empresas brasileiras possuem presença online.  Entre os usuários brasileiros já citados, pelo menos 77% usam diariamente internet via smartphone. O que nos torna um dos povos mais conectados do globo.

O fato é que Brasil se adequou de forma definitiva à nova era digital.

Invariavelmente, empresas com atuações intensas nos meios online, como as mídias sociais, promovem visibilidade à marca. Principalmente pelo fato de que é lá que o público está.

O que antes pode ter sido uma mídia de apoio – no caso, a internet – ganha o papel de principal canal de diálogo com o cliente.

Podemos hoje estabelecer uma via na qual podem ser coletadas em tempo real as críticas e elogios,  abrindo espaço para que novas ideias surjam. Sendo sugeridas pelos principais influenciadores do negócio: o cliente final.

Se ainda está em dúvida se deve ou não investir em mídias sociais para alavancar suas vendas e melhorar a imagem da sua marca, listamos aqui 5 razões para investir nelas.

 

1 – Interação: Promovendo relacionamento.

Quem já foi respondido com um comentário bem-humorado na Fan Page da Netflix sabe do que estamos falando.

Como foi citado na introdução do artigo, as mídias sociais têm como um dos objetivos primordiais facilitar o diálogo com o público. Gerando assim engajamento e fidelização qualificada.

Por meio da interação você consegue valorizar seu cliente, ouvindo o que ele tem a dizer e o empoderando diante de sugestões.

As mídias sociais são excelentes ferramentas de humanização da marca, personificando-a no meio digital e atribuindo a essa “persona” a identidade que sua empresa busca.

Ao falar com a marca nas redes sociais, o público passa a ter a sensação de que essa marca é “alguém”, e não apenas um símbolo.

Além disso, ao ganhar atenção proveniente a marca ou empresa, o público pode gerar compartilhamentos, marcar amigos, e tornar-se um dos “evangelizadores” da marca. Assim, a fidelização não para naquele seguidor, visto que ele – voluntariamente – converte outros conhecidos em seguidores.

Aqui na Elemento costumamos dizer que as palavras-chave norteadoras para uma interação eficiente são: empatia; simpatia; bom humor; respeito; atenção e diplomacia.

 

2 – Imediatismo: Praticidade em tempo real.

Uma complementação ao tópico anterior e um outro aspecto bem importante sobre as manifestações do público nas mídias sociais: reclamações e elogios são instantâneos.

Embora não esteja mais tanto em alta, quem já ouviu a expressão “vou xingar muito no Twitter”?

Os usuários têm – literalmente – na palma das mãos, uma ferramenta na qual podem expor em tempo real sua insatisfação com determinada marca ou estabelecimento.

Um casal esperando um pedido no restaurante, ou parado na fila, há mais de uma hora, pode publicar esse inconveniente em redes sociais com alta visibilidade e inclusive afastar outros clientes que pretendiam ir ao local.

Ao passo que o imediatismo pode ser um problema pela velocidade de propagação de um problema, também pode ser uma forma de mapeamento e contenção dos mesmos. Basta obsrervar que isso promove feedback instantâneo e permite aos gestores apagarem um incêndio antes que se alastre.

Por isso é sempre importante ter uma equipe – ou pelo menos um responsável – pela gestão das redes sociais de uma marca ou empresa. Assim, sempre haverá pessoal qualificado para conter incidentes e realizar gestões de crise de forma estratégica.

 

3 – Dados, Métricas e Pesquisas

Uma das melhores funcionalidades das mídias sociais é promover uma gama de dados quantitativos e qualificados sobre o comportamento do público nesses meios. Assim, é possível entender de forma objetiva – evitando os supostos “achismos” – quais estratégias estão ou não funcionando.

Além disso, é por meio de ferramentas de pesquisa que é possível mensurar os resultados de uma promoção e entender onde é possível ajustá-la.

Outra faceta importante da coleta de dados fornecidas pelas próprias interfaces do Facebook e Instagram é o de estabelecer dados que especificam características fundamentais do público-alvo, como: idade; gênero; localização; dentre outros.

Uma vez que a pesquisa é usada de forma estratégica, as ações de marketing posteriores tornam-se a cada momento mais qualificadas a nível macro e com o direcionamento ainda mais certeiro.

Como diferencial marcante, o uso das fontes de dados do facebook e outras mídias sociais é gratuito. Uma vez que ao criar a fanpage, você já terá acesso aos dados referentes ao comportamento do público. Caso estabeleça campanhas pagas, também receberá sem custo adicional os dados relacionados ao resultado da ação executada.

Embora seja uma interface bem intuitiva e sem muitos mistérios no uso, sempre recomendamos que contate um profissional que já tenha experiência em leitura de cenários online e gerenciamento de redes sociais. Assim, evitam-se alguns erros simples que são constantemente cometidos por quem ainda está dando os passos iniciais.

Menos erros, menos dinheiro perdido em campanhas mal executadas.

4 – Custo-Benefício: Otimização dos custos de mídia.

Antigamente os custos voltados para estratégia de publicidade e marketing possuíam níveis não muito acessíveis a qualquer empreendedor. Valores de mídia, como outdoors, tv e mídias impressas em geral, poderiam chegar a valores absurdos. Por vezes, estratégias de divulgação eram inviáveis.

Não bastasse os custos referentes aos veículos de mídias – e as gráficas, quando há a necessidade de produção e impressão – há ainda a dificuldade de mensuração qualificada do ROI (Return of Investiment).

Normalmente, o único termômetro de investimentos em mídias era o fator vendas. Se uma estratégia de comunicação envolvendo vários veículos dava certo, aumentava as vendas e pronto. Mas dificilmente o cliente vai conseguir mensurar o resultado qualificado de cada veículo.

Quantas pessoas viram o outdoor? Quantos assistiram ao VT no horário de almoço e foram impactados – de fato – por ele? Quem ouviu o spot na rádio e baseou sua decisão de compra por meio dele?

Sempre foi difícil mapear os resultados desses investimentos. Deixando o cliente, muitas vezes, à mercê de estratégias suntuosas, mas cheia de incógnitas.

Sabe quanto custa criar sua conta nas mídias sociais? Nada.

Claro, ainda haverá os custos com a equipe que irá gerenciar suas redes. Um custo palpável e mensurável, uma vez que esse acompanhamento é necessário.

Ainda haverá despesas com investimento em mídia? Sim. Porém, você não apenas controla quanto irá investir, como também coleta resultados sem custo adicional, como dissemos em tópicos anteriores.

Sem contar que os dados obtidos pelas interfaces são gratuitos e te auxiliam no seu controle financeiro.

Com valores baixos – até mesmo como testes – de R$50,00 a R$100,00, já é possível acompanhar os impactos no seu negócio a curto prazo.

Outdoors e inserções de mídia podem custar valores exorbitantes, resultados menores e nenhum relatório qualificado de dados.

Vale ressaltar ainda que você tem nas mídias sociais um canal gratuito de divulgação. Um meio no qual você pode inserir e controlar seus horários de publicação conforme considerar adequado. Dessa forma, eliminando custos de inserção ou diversas outras limitações impostas por formatos off-line.

5 – Seus concorrentes estão nas Mídias Sociais

Sabe seu concorrente? Pois é, ele estará lá nas mídias sociais. E caso ele não esteja – ainda – é sua chance de se posicionar antes dele.

Lembre-se: melhor que acompanhar a tendência é cria-la. Seja a referência antes que outro o seja.

Parece meio óbvio, mas seu concorrente recebe esse título justamente porque concorre com você a atenção – e o processo de escolha – do seu público-alvo.

Por meio das redes sociais você consegue acompanhar o que os concorrentes vêm fazendo ou o que ainda não fizeram. Assim você pode averiguar estratégias que estão dando certo ou ter insights sobre abordagens criativas.

Não só no que diz respeito à comunicação, você pode acompanhar o que vem sendo dito sobre seus concorrentes.

Detalhes físicos sobre o estabelecimento, qualidade do produto e do atendimento, poderão ser mensurados. Estes dados podem ser norteadores nas suas tomadas de decisão.

Existem diversas ferramentas que servem para acompanhamento de concorrência na internet. Elas auxiliam a otimizar o trabalho da sua equipe e promover estratégias mais robustas de marketing e gerenciamento de marca.

Conclusão

Como vimos, as mídias sociais nos tempos modernos são imprescindíveis no processo de comunicação, tornando-se essenciais nas estratégias de posicionamento.

Com a equipe adequada e os planejamentos bem alinhados, é possível consolidar sua marca nos meios online. Tornando-se uma referência no segmento de atuação.

Ações bem planejadas e um grupo em prontidão permitem o o ganho de visibilidade, fidelização e engajamento. Consequentemente, gerando o aumento das suas vendas, uma vez que seu negócio será mais buscado nas redes.

Um outro artigo que recomendamos ler para fazer uma complementação a esse é sobre social branding. Disponível aqui no blog.

Quer saber mais como as mídias sociais podem impactar no seu negócio? Entra em contato com a Elemento que a gente toma um café contigo e troca altas ideias. =)

By | 2018-02-02T10:38:00+00:00 Março 12th, 2018|Marketing, Publicidade|0 Comments

About the Author:

Publicitário que teve a sorte de encontrar paixão em seu trabalho, divertindo-se com cada novo job. Apaixonado por ideias absurdas, branding, cerveja e rock'n'roll, procura inspiração em diversos ritmos, culturas e - algumas vezes - no fundo de uma xícara de café. Embora os boletos o impulsionem pra caramba de vez em quando.