Mesas digitalizadoras: qual escolher?

Se você trabalha com criação digital com certeza deseja ou já desejou uma mesa digitalizadora, que também são conhecidas como tablets (não se confunda com os iPads). Seja pela simplicidade de seu uso ou pela representação metafórica do papel e caneta, as mesas digitalizadoras são anatomicamente melhores – principalmente para trabalhos minuciosos – frente  ao mouse, que é extremamente desconfortável.

A adaptação toma algum tempo, mas a persistência traz uma melhoria boa em seu fluxo diário. Usando o meu caso como exemplo, tenho mesas digitalizadoras desde 2009, quando comecei com uma Bamboo Pen simples que nem são mais fabricadas. No início foi um pouco diferente, até adaptar-se aquela nova interface. Mas após a adaptação posso afirmar que não consigo mais ficar sem esse gadget.

 

Onde e porque utilizar

Você que não ainda não sabe o porque adquirir uma e nem onde poderia utilizar as tablets, em quais softwares, não se desespere. Explicamos para você.

O principal uso é em softwares de edição de imagem como Photoshop, IllustratorGIMP e qualquer outro software que se exija mais de movimentos naturais da mão, que um mouse não pode atender tão bem. Manipulação de imagem, recortes detalhistas, edições pontuais, pinturas digitais…tudo isso fica muito mais fácil de se realizar utilizando uma tablet. Sabemos que atualmente designers, diretores de arte e ilustradores são fãs incondicionais desses periférico.

 

Principais modelos

1. Wacom Intuos

qual tablet escolher wacom intuos pen small

 

A Intuos é o modelo de entrada da Wacom. Simples e básica, principalmente no que diz respeito as funcionalidades e níveis de pressão. Se você está começando, essa é a escolha. Com toda certeza tem o melhor custo-benefício, é um modelo que foi lançado para substituir as antigas Bamboo. Veja mais aqui:

 

 

2. Wacom Intuos Pro

qual tablet escolher wacom intuos pro medium

 

Esse modelo foi a minha escolha e posso dizer com clareza: sua experiência de uso muda completamente após seu uso.

 

O que ganhei com ela?

Praticidade, diversidade de configurações em níveis de pressão que são detalhadamente definidos e uma ferramenta de nível profissional.

 

As Express Keys quando bem configuradas, praticamente dispensam o uso do teclado. Sua superfície e acabamento deixa tudo mais interessante: zoom, alterar monitores e até mesmo fazer ações conjuntas. Tê-las bem configuradas, pode fazer total diferença no uso de um software, mesmo com as configurações bem básicas, similares às de fábrica. Por exemplo: no Photoshop deixo configurado um botão específico para se comportar como Desfazer (Cmd Shift Z). Para usuários mais experientes pode se tornar um grande economizador de tempo. Confira no vídeo a seguir, como configurar suas Express Keys.

 

 

Ah, vale ressaltar, vem com módulo wifi, que é uma coisa maravilhosa. Principalmente em estações de trabalho mais flexíveis.

 

 

3. Wacom Cintiq

 

Wacom-22HD1

 

Sonho de consumo de 9 entre 10 artistas digitais. A Cintiq é um monitor interativo em que você pode literalmente dar asas a sua imaginação. Também munida de Express Keys, a Cintiq é o modelo topo de linha da Wacom e com certeza será um divisor de águas na sua vida profissional.

 

Alguns profissionais afirmam abandonar por completo o uso de papel e caneta após a aquisição de uma Cintiq. Encontra-se em diversos tamanhos 13”, 22”, 24” e o mais recente lançamento a de 27”. Além dos modelos monitores interativos, temos as Cintiq Companions, que dispensam conexões e rodam sistemas operacionais – Windows e Android – internamente.

 

 

By |2017-04-25T17:54:07+00:00junho 12th, 2015|Design|1 Comment

About the Author:

Business = Hustler, Designer = Hipster. CEO da Agência Elemento, um cara que ama conteúdo, aprendizado e New York City.