O mundo dos negócios tem tornado-se cada vez mais um “campo de batalhas” acirrado. Na evolução do mundo de negócios e o crescimento de modelos ágeis e disruptivos, liderados pela 4ª revolução industrial através de startups e empresas com foco em tecnologia, a forma de pensar e executar o marketing mudou, muito. A atenção do consumidor passou a ser disputada em uma amplitude muito maior, desde mídias analógicas até as mídias emergentes na internet.

 

Essa disputa passou a ser de forma intensa, afinal, com advento da tecnologia móvel estamos disputando a atenção com todo o tipo de mídia e canal. Já reparou como as pessoas estão no ônibus? Sim, ouvindo algo em seus celulares ou rolando pelo feed de alguma rede social.

 

Sendo assim, aquele anunciante que destinou a maior parte de sua verba para um outdoor por exemplo, está perdendo o seu dinheiro. Mas será que é realmente isso? É importante entender que precisamos ter cuidado com certos hypes que vem surgindo.

 

Por isso, resolvi escrever este artigo que celebra a cultura contemporânea, digital, millennial.

Já faz um tempo que vemos discussões acaloradas sobre marketing digital. Não muito tempo atrás, um termo em especial surgiu no segmento de marketing digital e empreendedorismo.

 

Growth Marketing.

 

Já falei aqui sobre a mentalidade de growth, sobre algumas técnicas que já utilizei e figuras como Neil Patel, Gary Vaynerchuk e o papa do termo, Sean Ellis, já deram o pano de fundo.

De fato, o termo é bem recente, afinal foi cunhado em 2010.

 

Sean Ellis, o growth hacker zero, ajuda startups a alcançar o crescimento exponencial e precisava de uma denominação para sua atuação como consultor.

 

Growth Hacking é marketing orientado a experimentos. – Sean Ellis

 

Nessa época, ele buscava empresas e pessoas em que sua estrela do norte fosse o crescimento. Não conseguia encontrar em departamentos de marketing.

 

Por quê?

 

Profissionais de marketing estão preocupados sempre com verbas, orçamentos, quais ferramentas contrataria, gerenciar campanhas, custos de cliques, etc. De fato, um growth hacker não se importa com isso, o que ele se preocupa é com a Única Métrica que Importa, ou seja, a North Star Metric.

 

É através dela que todos os experimentos de growth marketing se implementam. É o que chamamos de Growth Hacking Framework.

 

No meio da cultura de startups, o growth marketing utiliza um pouco de análise de dados e táticas não-convencionais, bebendo da fonte de criatividade e inovação para obviamente, alcançar o crescimento exponencial da base de clientes.

 

A Growth Devil, uma consultoria de growth norte-americana, tem uma descrição mais detalhada:

 

Growth marketing é basicamente uma forma que empresas utilizam para analisar “quem” e “como” as pessoas usam seus produtos, e em seguida, de forma implacável, criam crescimento para seus negócios.


Particularmente, gosto de definir growth marketing da seguinte forma: caminhos não convencionais de se alcançar o crescimento através de uma análise criativa, assumindo os riscos existentes.

growth hacker marketing a diferença entre os hackers

Então me pergunto: sua empresa já está nessa realidade? Possui alguém com essa mentalidade? Caso a sua resposta tenha sido não, não se preocupe, preparei este artigo para ajudar a desenvolver esta mentalidade em sua equipe.

 

Por isso nesse artigo você vai:

  • Entender melhor sobre Growth Marketing;
  • Entender como a internet influencia cada vez os negócios;
  • Saber que a atenção é o recurso mais escasso e importante do momento;
  • Entender que a mentalidade de growth marketing muda uma empresa;

O que é Growth Marketing?

Apesar de tudo que já foi dito sobre growth marketing em quase todos os lugares que você já pesquisou, é possível que você esteja se questionando: será que growth marketing é o que realmente preciso? Sem querer ser parcial, mas já sendo, é.

 

Inicialmente era algo que estava muito próximo de empresas baseadas na internet, principalmente pela maior capacidade de escalabilidade, assim como observamos com alguns cases tradicionais das empresas digitais. Mas é importante entender que quando digo isso, estou falando startups e e-commerces como facebook, dropbox, airbnb e amazon.

 

Porém, já é fácil para alguns profissionais entender a metodologia do growth marketing e aplicar em diversos segmentos de negócios. Se você assistiu ao filme Fome de Poder, pode perceber que houveram alguns hacks durante a trajetória do Mc Donald`s.

 

Mas peraí, seria isso growth marketing?

 

Considero que sim, pois se retornarmos a definição da metodologia, é importante entender que precisa ser não-convencional. Ou seja, não fazer o que todos estão fazendo, olhar por outro ponto de vista e conseguir perceber espaços para ocupar.

Ray Kroc usou Growth Hacker Marketing no McDonalds

Logo se você está considerando utilizar o Growth Marketing no seu fluxo de planejamento, saiba que ele é um conceito poderoso que funciona para os profissionais de marketing sagazes de todos os tipos, não apenas para startups de tecnologia. Segundo Neil Patel, o ideal é passar a incorporar o growth marketing em seu planejamento de marketing – anual, semestral e plurianual – para que possa extrair o máximo de

 

A minha dica é aproveitar essa duas leituras a seguir para entender mais:

Growth Marketing e a internet geram negócios

Agora que você já sabe que growth marketing também é para você, acho que está na hora de entender o por que, não é mesmo?! O mundo moderno muda com uma velocidade incrível e há, ainda, muita oportunidade de ocupar espaços que não estavam ocupados antes.

Se você já seguiu minhas dicas e leu o livro The Thank You Economy, entenderá o que falarei agora. Gerenciamento de comunidade é uma coisa real e que pode gerar muito espaço para inovação.

Estamos na fase de ouro da comunicação. Não existe intermediário, todos estão ao seu alcance graças a internet e as empresas mais inteligentes do momento estão entendendo que tornar-se um publisher com conteúdo de qualidade está ao alcance de qualquer um.

Por isso a internet é o campo de batalhas mais “quente” quando o assunto é atenção. Cada vez mais a disputa por atenção é acirrada; muitas telas, muitos canais, muitas redes, muito conteúdo sendo gerado e muitas pessoas para consumir. Você já viu o que acontece em 1 minuto na internet?

growth marketing 1 minuto na internet

 

Com todo esse volume de informação sendo colocado no mundo, a sua mensagem ficará perdida no meio de todo esse ruído. Principalmente se você não dedicar tempo o suficiente para chamar a atenção do seu público. Para isso é importante entender o conceito de atenção subvalorizada – o que o GaryVee divulga como underpriced attention.

 

Entender qual o canal podemos chamar a atenção do público, alavancando o volume de audiência e assim posicionando nossa mensagem de forma mais eficiente no mercado é um caminho sem volta. E não há outra maneira de se conseguir isso sem experimentar muito, tentativa e erro, apostar em canais diferentes e fazer algumas “maluquices” ajuda (e muito) no desenvolvimento de uma audiência forte.

 

É importante lembrar que audiência é diferente de target (público-alvo). Audiência é um conjunto de pessoas, que podem ou não fazer parte do seu público-alvo, engajadas em seu conteúdo. Estrategicamente é melhor que seja um grupo dentro do seu público-alvo, para que assim alavanque mais oportunidades de negócio. Novamente, seguidores não são seus clientes.

 

Mas sempre há oportunidade de transformá-los em clientes, no entanto, esse movimento só é possível caso tenha alavancado de forma eficiente toda a atenção necessária para a sua audiência manter-se engajada o suficiente com sua mensagem e conteúdo e veja de fato interesse em comprar o que você comercializa.

 

Essa é uma das diferenças cruciais para o growth marketing e o marketing digital. Sabe onde está aquele panfleto da sua empresa? Pois é, prefiro nem arriscar dizer. 🙂

diferenças entre marketing digital e growth hacker marketing

Agora, se você está no campo de batalha da internet, escolhendo bem suas “batalhas” na guerra pela atenção do público, então você está perdendo espaço e se comunicando como 1980.

 

Como?

 

Te explico.

 

Assim como quase toda métrica, o crescimento na base de usuários não acontece da noite para o dia, é necessário um esforço para que isso ocorra. Nesse esforço a principal moeda de troca é a atenção. Atenção essa que seu usuários dariam para outros canais, mas você está sendo assertivo, “bombardeando” com as informações corretas, na hora certa e como ele quer receber.

 

Por isso dentro do growth marketing, existem algumas verticais, como já expliquei e uma das que podem alavancar de forma eficiente a atenção para o seu conteúdo e sua mensagem é o Content Hacker. É importante entender o que é mito e o que é verdade sobre a ocupação do growth hacker.

growth marketing content hacker

Em geral, essa batalha pelo awereness é medida no share of attention.

KPI de Growth Marketing: Share of Attention

Se você ainda não está por dentro do que é o termo share of attention, te ajudo a entender melhor de forma curta e sucinta. Share of Attention é o share que sua marca tem de um total de atenção do público, ou seja, atualmente com toda a distração existente no ambiente a atenção passou a ser a moeda de toda estratégia de marketing.

 

Não adianta comunicar se você não tem a atenção de quem precisa receber a mensagem, simples assim.

 

Trazendo para a realidade do growth marketing, pense comigo, se eu preciso crescer uma determinada métrica, digamos, usuários ativos; você precisa conquistar a atenção dele de alguma forma.

 

É aí que entra o growth hacking para atenção, ou seja, hacks para você conquistar a atenção de quem precisa ser fisgado pela sua oferta.

 

Gary Vaynerchuk vai além e explica que devemos ir na atenção raiz, não Nutella.

“As pessoas acreditam apenas porque você colocou um outdoor ou compra uma tonelada de banners e pre-rolls ou ainda compra espaço na televisão em escala por milhões de dólares para executar comerciais que você está recebendo “atenção”.” – Gary Vaynerchuk

 

Uma fórmula simples para você guardar: atenção > impressões. Dessa forma, buscando sempre uma atenção subvalorizada, vamos em busca da relação custo < alcance.

 

É importante irmos fundo na forma como as coisas são comercializadas e consumidas, é imprescindível fazer uma engenharia reversa não só onde a atenção está realmente, mas onde realmente estão consumindo, bem como a qualidade da mensagem e da parte criativa – que é a variável, uma vez que você tem a atenção de alguém.

 

A qualidade de como você planeja o que você tem na frente e o que você colocou na frente deles, independente da mídia – seja através de voz, vídeo móvel ou qualquer outra coisa – é imperativo.

 

É importante perceberem que você está dedicando atenção para poder ganhar atenção.

growth marketing 130 maneiras de gerar tráfego

A mentalidade de growth marketing molda o faturamento

Pronto, agora que você já hackeou a atenção do público. Já tem a mentalidade de crescimento.

Então o que lhe falta?

Hacker o sistema. Calma, no bom sentido.

Sabendo o que você precisa para domar a atenção do público e planejando de forma estruturada, chega a hora de ganhar velocidade e impacto.

Essa é a lógica do growth marketing.

Faça uma pequena mentalização e pense:

  • O que posso automatizar?
  • Como automatizar?
  • O que eu não posso automatizar?
  • Por quê?
  • Existe algum risco em automatizar que não estou percebendo?

Com posse disso, busque as ferramentas necessárias. Se não tiver e você tiver o talento de codificar, faça as suas. Não importa, a regra aqui é acelerar.

Minha dica, busque ferramentas de coleta de lista de e-mail. Isso para começar. Após, construa um fluxo de conteúdo e o automatize numa ferramenta de automação de marketing.

Precisa de algo antes disso? Ah, mais inscritos?!

Que tal um member get member? Existem ferramentas que podem lhe auxilia a construir uma campanha de captura de usuários, assim como o Dropbox fez.

Ou você pode ser raiz e fazer como o Airbnb, utilizando a plataforma de terceiros para tal.

Com esses cadastros, utilize ferramentas de segmentação para construir anúncios de dinâmicos.

Enfim, são apenas algumas ideias que podem ajudar a entender algum ponto diferente do seu negócio.

Agora, aplique a metodologia da startup enxuta. Trabalhe em cima dos aprendizados (o que funciona/o que não funciona), corrija o que pode ser corrigido, aplique novamente e retire bons aprendizados e alcance o crescimento.

O segredo é a repetição.

Conclusão

Agora que você já está mais familiarizado com o termo growth marketing, sabe também que a figura do hacker não é necessariamente uma pessoa ruim ou que comete algum desvio ético para resolver um problema.

Por isso aqui na Elemento, estamos iniciando a campanha Hack4Change. Queremos difundir a mentalidade de crescimento em diversos segmentos da economia e demonstrar que existem profissionais – ainda que jovens – que são bem intencionados e que trabalham pensando sempre no melhor para seus clientes.

Por isso, entender mais sobre essa cultura é essencial; afinal empresas como Facebook foram construídas sobre esse alicerce (tendo inclusive o termo em seu endereço).

Obrigado por ler! 🙂 Se você gostou desse artigo, fale comigo no Instagram | LinkedIn | Facebook | Twitter

Inscreva-se na newsletter da Elemento AQUI