6 mitos e verdades sobre o growth hacker

Muito se debate sobre mitos e verdades que cercam a profissão do growth hacker, mas apesar do que muitos falam, acredito que qualquer empresa pode se beneficiar de um growth hacker.

Por isso minha missão nesse artigo é mostrar que apesar de todo o hype envolvendo essa nova profissão, existem mitos e verdades sobre o growth hacker que precisamos ter cuidado ao analisar o trabalho.

Por isso, nesse artigo você irá conhecer:

  • Como empresas podem utilizar o trabalho do growth hacker;
  • Como outras áreas podem suportar o trabalho de growth;
  • Mitos e verdades sobre o growth hacker.

Enquanto empresas B2C – que possuem ticket médio menor, porém contam com mais giro – se beneficiam na construção de todo o fluxo de growth, envolvendo testes que culminam no CRO (Conversion Rate Optimization); empresas B2B – que contam com ticket médio maior, mas com o ciclo de vendas mais extenso -também conseguem se beneficiar, desde que o fluxo seja bem estabelecido e planejado desde o momento zero.

Por exemplo, para serviços B2B pode-se trabalhar na parte de engenharia social, identificação de targets e automatização do processo de relacionamento, com a finalidade de agendar mais reuniões. Tudo isso focado em leads qualificados e com sinergia com o negócio.

Penso que se associado a um bom trabalho de branding, o growth hacker tem tudo para alavancar o trabalho da empresa.

Pensando nessa sinergia entre setores e na qualidade de entrega dos serviços, preparamos uma lista de seis mitos e verdades que envolvem o trabalho do growth hacker. Sim, muitas pessoas dizem que trabalham com growth apenas pelo hype.

mitos e verdades sobre o growth hacker a importância que os CEO`s dão ao Growth

Veja a lista de mitos e verdades sobre o growth hacker.

Seis mitos e verdades sobre o growth hacker

Verdade: Apenas startups podem ter um growth hacker

De fato mercados B2C tendem a conseguir extrair mais valor do trabalho do growth hacker, por ele poder se inserir em todo o processo – desde o desenvolvimento do produto até o pós-venda. Mas não são apenas startups que podem tirar proveito do trabalho de growth; atualmente existem empresas de serviço dedicando especial atenção para isso, além de consultorias que foram criadas focada nesse processo.

Um bom exemplo de growth hacker que se insere e consegue transitar por diversos mercados é o Neil Patel, tendo atuado com empresas de economia real, autônomos e também construído seus produtos próprios como o QuickSprout, KISSmetrics, CrazyEgg e Hellobar.

Mito: Growth Hackers são como os Anonymous

Apesar da palavra hacker ser associada quase que automaticamente a jovens revoltados aliados a ativismo político, Growth Hackers não possuem qualquer ligação com esse tipo de hacker ativista.

Growth hackers são profissionais que interseccionam áreas de conhecimento como tecnologia, marketing e negócios. Tudo isso para alavancar o crescimento da empresa.

Mito: É todo profissional de marketing que possui capacidade de pensar o growth

No caso, growth é uma mentalidade e profissionais de marketing não possuem a mentalidade de crescimento baseada na tentativa e erro.

Mas não se engane, não são apenas jovens de hoodies que são growth hackers, isso é um mito criado pela cultura do Vale do Silício. Podemos encontrar muitos executivos de terno e gravata que possuem essa mentalidade, afinal segundo Sean Ellis, growth hacker é aquele profissional que possui sua verdade o foco no crescimento.

mitos e verdades sobre o growth hacker o fluxo de growth

Verdade: Growth hacker planejam muito bem suas ações

Sim, planejamento é o caminho mais importante para um growth hacker, pois ele precisa documentar seu processo para consequentemente passar a frente os experimentos que deram certo.

Assim como todo setor de uma empresa, só há qualidade no serviço se ele for corretamente documento e possa ser levado adiante com métricas corretas.

Se cada experimento não for extremamente bem planejado, existe uma certa possibilidade de seu growth hacker ser uma farsa, ou seja, você não estar conversando com um growth hacker.

Mito: Não importa a qualidade do produto para o trabalho do growth hacker

Se você alguma vez ouviu essa frase por aí, cuidado. Para um growth hacker é muito importante a qualidade do produto; por isso se envolvem no processo desde a construção do produto até o pós venda.

O trabalho com experimentação e ciclo de feedbacks constantes tem origem na metodologia da Startup Enxuta; que parte do princípio que o produto não precisa ser incrível, mas precisa querer ser incrível e trabalhar constantemente para entregar a melhor solução para o usuário.

Verdade: o growth hacker se assemelha muito a um cientista

O growth hacker é aquele tipo de profissional que se assemelha muito a um cientista, tem muito do cientista de dados, mas não é exatamente um.

mitos e verdades sobre o growht hacker tabela períodica de habilidades

No caso growth hackers se assemelham aos cientistas devido o processo de constante de experimentação e validação de hipóteses. A Growth Tribe, primeira escola de growth hacking da Europa, exemplifica os tipos de conhecimento de um growth hacker. Precisa ter um formato em T: conhecimento superficial de muitas coisas e profundo em apenas uma vertical.

mitos e verdades sobre o growth hacker t-shapped growth hacker

Conclusão

É importante entender que apesar do hype em torno do termo, é preciso saber o que é verdade e o que é mito sobre essa nova profissão. Cuidado com os mitos e verdades sobre o growth hacker.

Em um mundo com a evolução tão acelerada, saber os detalhes é o mínimo que podemos entender se for considerarmos uma contratação ou trabalho experimental.

Como sua empresa tem se comportado em relação ao crescimento? Conte para nós nos comentários.

By | 2018-06-05T17:06:33+00:00 abril 9th, 2018|Business, Marketing, Tecnologia, Website destaque|0 Comments

About the Author:

Business = Hustler, Designer = Hipster. CEO da Agência Elemento, um cara que ama conteúdo, aprendizado e New York City.