Entenda por que seus seguidores não são clientes potenciais

Quando um novo negócio é iniciado (atualmente) o primeiro passo dos empreendedores geralmente é partir para divulgá-lo: criar contas em todas as redes sociais sem se importar com um real planejamento de marketing, por exemplo.

Dá para entender, afinal, as redes sociais são um local em que sua mensagem tem o potencial de alta propagação sem os custos elevados pela veiculação que há nas mídias tradicionais como a televisão.

Mas então, digamos que você tenha criado a conta, construiu um padrão de mensagens para publicar e até aí, tem feito um bom trabalho.

Pessoas começaram a te seguir e também a interagir com seus perfis, tudo isso de forma orgânica. Uma coisa linda, chega a emocionar.

Você chega num patamar de satisfação interessante, e baixa a guarda.

É aí começa uma sucessão de erros – e aquele planejamento de marketing começa a fazer – que podem causar problemas ao seu trabalho até então bem feito.

É importante entendermos como se dá o processo de decisão de compra, e estar presente até nos momentos em que sua audiência menos espera.

E é aí que os gestores do negócio, e muitas vezes, até mesmo você, começam a mudar mentalidade quanto aos seguidores existentes em suas redes e começam a acreditar que eles são um ativo da empresa. Então mudam o modo de suas mensagens, entra de forma agressiva no incentivo ao consumo, literalmente hardsell, sem proposta de valor; apenas a venda por venda.

Afinal de contas, se eles estão seguindo seus perfis é porque tem interesse em comprar. Não é mesmo?

Errado.

Precisamos esclarecer uma coisa: seguidores não são clientes potenciais. Não é porque eu sigo a Marca X que comprarei dela.

funil de vendas para marketing de conteúdo e redes sociais funcional para qualquer negócio

Nesse ponto se faz tão necessário aquele planejamento de marketing de início da empresa, definindo o seu funil de vendas e o ciclo do cliente dentro da sua empresa.

Vamos pensar no funil de vendas.

Quando você tem um seguidor em qualquer perfil de rede social, o funil ainda está na fase de Atração e Captura, ou seja, muito provavelmente essa pessoas não está preparada para ouvir sua proposta de venda. Ela quer descobrir mais sobre o negócio, você, quais os motivos de existirem e entender no que pode ajudar a vida dele.

Nesse ponto, as redes sociais funcionam como um catalizador, propagando um discurso. Logo, se você possui um planejamento de conteúdo bem desenvolvido, esse cara com certeza passa para uma nova fase, onde ele fica exposto a uma Nutrição de conteúdo constante, construindo o discurso da marca e promovendo seus valores. Fazendo literalmente essa pessoas se conectar com a empresa e criar laços para o futuro.

Com o tempo esse usuário/seguidor já estará preparado a ouvir sua proposta de venda, é aí que você muda ou adapta um pouco o seu discurso; e aos poucos tenta leva-lo para a fase de Conversão.

O que gera um constante problema é que, geralmente, os negócios não alinham o seu conteúdo à posição do funil em que seus seguidores deveriam estar.

Como assim?

Se seu público é de topo de funil, ou seja, está na fase de Atração, não adianta nada escrever conteúdo focado em conversão. Você irá cansar seu seguidores, estressando sua base, afastando-os de seu conteúdo; e com o tempo fará com que seu conteúdo passe despercebido em seus feeds de notícia.

Quer dizer que não tenho clientes potenciais nas redes sociais?

Não bem assim, você não precisa ser radical.

Nas redes sociais temos interessados em conhecer e descobrir, e o seu negócio deve estar disposto a auxiliar o usuário. Como diz Gary Vaynerchuk em seu livro Jab, Jab, Jab, Right Hook: How to Tell Your Story in a Noisy Social WorldJab, jab, jab, right hook; você precisa entregar valor primeiro para depois perguntar, ou seja, “conteúdo, conteúdo, conteúdo, venda”.

Se seus seguidores que já conhecem e tornam-se evangelizadores, aí sim, significa que seu conteúdo está ressonando de forma perfeita com sua audiência. Construa um funil de conteúdo e comece a capturar leads, trabalhe esses leads para tornarem-se grandes advogados de sua marca.

O importante é sempre pensar de forma a longo-prazo; passa a ser mais lucrativo que o trabalho de vendas a curto-prazo.

Conclusão

Vai dar mais trabalho? Com certeza; mas também será mais recompensador e também sustentável para a sua empresa no futuro.

Se está em dúvida em como operar? Procure uma consultoria ou uma agência capacitada para lhe auxiliar no trajeto. Existem muitas empresas no mercado que fazem de sua missão ajudar outras empresas crescerem.

Aqui na Elemento podemos lhe ajudar, nosso conteúdo é gratuito e temos todo o prazer em conversar com você para entender seu negócio.

Se quiser ficar totalmente por dentro de nosso conteúdo gratuito, não deixe de assinar nossa newsletter.

Quais estratégias você tem colocado o seu negócio para conquistar mais clientes potenciais? Possui planejamento?

 

By | 2016-12-04T14:27:55+00:00 novembro 25th, 2015|Business, Marketing|3 Comments

About the Author:

Business = Hustler, Designer = Hipster. CEO da Agência Elemento, um cara que ama conteúdo, aprendizado e New York City.