As maiores tendências de 2017 em marketing

O ano de 2016 passou, muitas empresas sobreviveram ao turbilhão de problemas que surgiram durante o ano; e agora estamos aqui, nos últimos dias do primeiro mês de 2017.

Como está o desempenho geral da sua empresa?

 

Faço essa pergunta, pois é quase impossível separar vendas e marketing. Estão intrinsecamente ligados.

 

A verdade é que precisamos lembrar que marketing não se resume apenas em publicidade, na verdade, publicidade é apenas uma das ferramentas que o marketing utiliza para o crescimento da curva de atenção do seu negócio. Afinal, ultimamente, ganhar a atenção das pessoas tem sido uma das tarefas mais difíceis.

 

Por isso insisto tanto, que nos investimentos em marketing, sejam eles na área que for; o importante é estar bem canalizado e com o entendimento que ações de longo prazo são mais benéficas do que ações de curto prazo.

 

Investimentos inteligentes em marketing

Quando a crise estourou de forma bem forte, lá em 2015, publiquei um artigo do por que aumentar seus investimentos em marketing.

Continuo acreditando nessa premissa.

O marketing quando pensado de forma integrada à empresa só pode gerar bons frutos. Mas quando vemos empresários reclamando da falta de resultados, ou achando que o marketing é um gasto, só posso afirmar uma coisa: ele age de forma excludente com o marketing em sua empresa.

 

É simples, para o marketing funcionar, a empresa precisa ser integrada; e o marketing precisa ter acesso à diversos dados da empresa que podem fazer com que seus atendimentos, e consequentemente suas vendas, decolem.

Ações isoladas, geralmente são utilizadas como paliativos, tentando conquistar alguma atenção de mercado.

 

 

Nesse momento que vivemos, em que o acesso à informações e também a capacidade produtiva é tão simplificado; a qualidade principal que buscamos no mercado é apenas uma: consistência.

 

 

Quando vemos diversos empreendedores e gestores reclamarem que não conseguem colher bons frutos das suas estratégias de marketing, me assusto. Por alguns breve motivos, que irei explicar.

 

  1. Não existe possibilidade de colher bons frutos quando não se é consistente e presente; ou seja, você precisa mostrar sua mensagem em diversas plataformas, e o principal: você precisa rezar pela cartilha que prega. Se em algum momento alguém tiver a menor das desconfianças em relação ao seu modus operandi, você estará destinado ao fracasso.
  2. Consistência também está relacionada a persistência. É certo que haverão ações que não corresponderão as expectativas, e os resultados ficarão a quem do esperado. Mas estamos na era da informação e da velocidade, o que nos dá boas oportunidades para testar e ajustar nossas estratégias para novos formatos, audiências, espaços, mídias, etc.

 

https://gph.is/180SLfX

 

Além disso tudo, antes de cravarmos nossa “espada justiceira” nas (possíveis) tendências desse ano, precisamos entender e rever o que sugerimos como tendência no ano passado.

 

Como foi 2016, o que foi tendência no marketing?

 

Ano passado, colocamos alguns pontos fortes como tendência, vocês viram? Se não viram, podem ver aqui.

A verdade é que, com a curva de atenção do Instagram crescendo, acreditamos ainda mais que a tendência de escalar o inescalável está mais possível.

Pelo seguinte motivo: o Instagram é uma rede em que as interações são reduzidas à unidade, exceto claro aos comentários. As pessoas não veem diretamente suas relações, a área util de informações (o feed) nos limita apenas a ver as fotos.

 

Mas desde que saiu a opção de Direct Message, ou mensagem direta, quem possui um senso de sagacidade aguçado, já conseguiu elevar seu jogo e se colocou alguns passos à frente.

 

Além disso, o marketing digital guiado por dados, tem se consolidado cada vez mais como o grande recurso diferenciador de negócios desde o ano passado. Independente se seu negócio está ou não baseado na internet, saber sobre web analytics e ter um setor de business intelligence, é relevante sim!

Então, sabendo do que foi tendência e como se fez as iniciativas, o que você estruturou em 2016? Como está se preparando para 2017?

 

Se você chegou até aqui, prepare-se, pois o melhor ainda está por vir.

 

Como se destacar em 2017?

 

Após saber o que foi tendência em 2016, ter testado e coletado resultados; aproveitamos para afirmar: você precisa continuar a executar, testar e ajustar. Sempre ajustando.

Isso poderá pavimentar o seu caminho para resultados.

 

Crescimento Orgânico

Sabemos que existem muitos obstáculos no caminho e que (muitos) negócios simplesmente se “afobam” em alcançar seu crescimento.

O fato é que na dinâmica anterior, em que a publicidade resolvia um problema grande em relação à curva de atenção do negócio, investir em mídia era o primeiro e único caminho para o crescimento.

 

Hoje com diversas plataformas sociais, em que podemos explorar nossas mensagens para diversos segmentos; o crescimento orgânico é o caminho que se demonstra mais interessante.

Quando falamos de crescimento orgânico é necessário saber que temos isso em diversas plataformas, mas como o marketing digital anda em alta, vamos focar nessa área.

Link building, tráfego de referência e também conseguir mais seguidores/assinantes, sem ter que utilizar técnicas de blackhat e/ou partir para compra de listas é essencial.

 

Aqui é importante entender que o trabalho é de formiguinha e de resultados a longo prazo.

Por isso, antes de mais nada, para se começar a ter atitudes voltadas para o crescimento orgânico já adianto, será preciso algumas coisas:

  1. Paciência, crescimento orgânico é crescimento a longo prazo e de valor agregado à marca;
  2. Um planejamento muito bem desenhado para não fugir do caminho inicial.
  3. Criatividade.

 

Com o fácil acesso à diversas plataformas e também a facilidade de utilização de diversas tecnologias para facilitar a criação de peças; vemos que esse tipo de trabalho tornou-se commodity.

 

Sendo assim, já sabemos que o trabalho realmente criativo será a variável para diferenciar o seu trabalho dos demais que estão no mercado.

 

Conteúdo em vídeo

Talvez essa seja a grande tendência de 2017, conteúdo em vídeo. O marketing de conteúdo vem se demonstrando como o grande viés diferenciador de negócios, desde de 2015.

 

Em 2016, podemos dizer que o conteúdo ganhou maturidade, e diversos negócios perceberam o quanto é necessário desenvolver uma estratégia eficiente de conteúdo. Assim, observando os YouTubers que possuem o maior crescimento dos últimos tempos, baseados apenas em conteúdo audio-visual, o mercado absorveu aos poucos essa tendência.

 

Tudo isso foi amplificado quando percebeu-se que o Facebook dá mais valor a conteúdos em vídeo frente aos conteúdos em imagem; e isso não sou eu quem estou afirmando. Dados divulgados na VidCon 2016 já comprovaram isso. Veja a baixo:

 

  • 3 dos 5 apps mais usados por adolescentes nos EUA pertencem ao Facebook, os outros são Youtube e Snapchat.
  • 60% dos millenialls dos EUA preferem ficar sem Facebook do que sem Netflix.
  • 48% da audiência do Facebook Live vem de shares e não da base original de fãs da página.
  • Facebook Live tem 10 vezes mais comentários do que vídeos comuns.*
  • Facebook detecta se sua foto é de banco de imagens e diminui o alcance do post.
  • Um influenciador gera 2,4x mais engajamento do que uma marca ou veículo.
  • A Vice teve 40% de aumento de brand recognition depois de fazer conteúdo na HBO. O mercado pensou “Now you are a real media company”.
  • Vídeos vistos no celular geram mais envolvimento da audiência, e recebem mais comentários.
  • Views de vídeos online cresceram 164% desde o ano passado, foram 589 bilhões de views em Maio no mundo todo.

 

Por tanto, além de se pensar em conteúdo de vídeo, mantenha a premissa que já era presente em conteúdos de imagem: seja nativo em dispositivos móveis.

 

Documentar e não criar

Seguindo o caminho dos conteúdos em vídeo, Gary Vaynerchuk diz que devemos documentar e não criar. Quando utilizamos a ideia de criar um show audio-visual, criamos uma certa aura de forçar a barra. Quando documentamos, estamos apenas divulgando o que já é feito naturalmente.

 

google trends daily vlogs crescimento em todo o mundo no último ano 2016 2017

 

Por isso nos últimos meses o crescimento astronômico de daily vlogs pelo YouTube, seguindo a ideia nascida com Casey Neistat.  Mas ei, não são apenas os Daily Vlogs que documentam nosso dia-a-dia. O formato quem decide obviamente é você e sua equipe.

Aqui na Elemento decidimos construir um formato do programa no viés da informalidade e do bate-papo.

Esse é o nosso Mondays, aqui deixamos nosso trailer.

 

 

Lembre-se de se inscrever no canal! 😉

 

No nosso caso, o programa é uma forma de criar valor para quem nos assiste, compartilhando/documentando, nossas experiências que compartilhamos em cada episódio.

 

Growth Hacking

Com o crescimento assombroso de várias startups, esse termo ganhou uma aura mágica, quase intocada e digamos que uma certa “gourmetizada”.

 

Aqui no blog já citei algumas dicas de como estruturar alguns caminhos através de ferramentas, dei dicas de profissionais para se inspirar e também fiz uma breve introdução sobre o que é para quem ainda não sabe.

 

Mas se ainda assim, você não está por dentro do termo, recomendo a leitura de um livro The Smallbusiness Guide To Growth Hacking, editado pela renomada Fast Company.

 

O livro é gratuito e você não tem desculpas para não ler (afinal o mínimo que espero de você é que tenha um smartphone).

 

Mas a ideia é simples, o sonho de toda corporação – não importa o tamanho – é encontrar o caminho do crescimento. Se ele for exponencial, melhor ainda. Bem, digamos de forma grosseira que é isso que o Growth Hacking pode fazer por sua empresa.

Mas a tal almejada hack culture é difícil de realmente se ter presente. Como esses profissionais são raros e também custam caro, ainda existe um fator muito relevante para esse método funcionar: a cultura da empresa precisar estar alinhada com os resultados que pode gerar.

 

Mas, se conseguir cumprir todos os fatores acima, saiba que o potencial é enorme e você precisará ter uma equipe em grande convergência entre técnico em TI e profissionais de marketing.

 

Conclusão

Independente de ser tendência ou não, essas disciplinas estão diretamente ligadas aos seus resultados de marketing. Saber quais indicadores utilizar e antes de mais nada, do por que utilizar uma dessas “ferramentas”; se faz necessário.

 

Você pode conseguir excelentes resultados, desde que saiba em qual terreno está pisando, o quão fundo você está preparado para ir e o principal, trabalhar duro. Saber que irá precisar de muitos ajustes, testes, ajustes, testes.

 

Quais dessas tendências você já está utilizando? Quais os resultados até então?

 

By |2017-02-10T17:17:00+00:00janeiro 31st, 2017|Marketing, Miscelânia|2 Comments

About the Author:

Business = Hustler, Designer = Hipster. CEO da Agência Elemento, um cara que ama conteúdo, aprendizado e New York City.