5 Dicas para Otimizar a Experiência do Usuário em seu Site

No atual contexto de marketing – em constante mudanças e adequações – o website vem se tornando uma ferramenta cada vez mais relevante, principalmente se usado de forma conjunta com as redes sociais.

Então como você pode otimizar a experiência do usuário em seu site?

Algo importante que se deve ter em vista é a disponibilidade integral do site, estando acessível 24 horas por dia e tornando-se um canal de conversão de vendas para seu negócio (talvez o canal principal, como é o caso de e-commerces). Ah, mas meu site é institucional você deve estar pensando.

Ele também precisa otimizar a experiência do usuário, afinal de uma forma ou de outra, é através dele que você gerará negócios. Direta ou indiretamente.

Pensando nisso, elencamos 5 dicas para você melhorar seu website pensando em otimizar a experiência e a usabilidade de seu cliente.

 

1 – Público-alvo: conheça-o e fale sua língua.

Primeiramente temos que ter em vista quem é o internauta que irá acessar o seu site. É sempre bom fazer uma pesquisa mais a fundo sobre particularidades e preferências, bem como os dispositivos que ele utiliza para acessar os nichos digitais.

Uma técnica bem utilizada para definição do seu usuário é a elaboração de personas (algo mais profundo que o público-alvo genérico). Assim, você estabelece uma espécie de personagem que reúne todas as características que você considera fundamentais para delinear o seu consumidor.

Hobbies, idade, localização, hábitos de consumo, renda, dentre outros atributos, irão te nortear estrategicamente para desenhar seu plano de ação e elaboração do site.

Quais dispositivos ele usa? Quanto tempo fica conectado diariamente? Ele é paciente para ler grandes quantidades de informação ou prefere objetividade? Como são os sites do seu concorrente que estão sendo acessados pelo seu público?

Algumas perguntas, quando respondidas adequadamente, facilitam seus insights no momento de criação do site.

Uma vez que sua persona foi estabelecida, você consegue presumir – e pesquisar – traquejos e linguagens nas quais ele se encontre e consiga enxergar a informação com mais receptividade, sentindo-se mais confortável.

 

2 – Objetividade: informação a poucos cliques de distância

Uma das regras essenciais de navegabilidade é a facilidade de acesso ao que se procura no site. Na verdade, muitos especialistas citam a Regra dos 3 Cliques, como parâmetro de objetividade ao se considerar as melhores práticas de webdesign.

Vamos considerar que o usuário já pesquisou diversos sites de produtos similares, ficando saturado de informação a cada nova busca. Suponhamos que ao chegar no seu site ele já esteja exausto e tudo que ele quer saber é se há determinado produto que ele procura, bem como o preço e formas de pagamento.  Não é raro que usuários impacientes desistam do seu site por não encontrarem de imediato a informação pesquisada e passe para o próximo.

Esteja preparado para um usuário com pressa, exigente, prático, objetivo e que está avaliando a melhor oportunidade entre você e seus concorrentes.

Se você quiser mapear esse comportamento do usuário, recomendamos o uso do Google Analytics, que possui integração com alguns aspectos e resultados mais abrangentes do site.

Para análises comparativas de navegabilidade, indicamos ferramentas de mapa de calor dos cliques, tais como HotJar e CrazyEgg. Esses recursos possibilitam que você consiga ter noção do verdadeiro fluxo dos internautas que acessam seu site, além poder ter a real noção do que tem funcionado ou não.

Tenha em mente que informações difíceis de se encontrar e um site confuso podem irritar seu público a ponto de ele não querer voltar.

 

3 – Call to Action: atraia e estimule o público a clicar

Os consumidores do seu produto ou serviço já estão habituados a serem direcionados por dicas visuais para saber se o conteúdo é relevante ou não para eles.

As Calls to Action – chamadas para ação – com uma palavra-chave em destaque que estimula o público ao clique, facilitam a navegabilidade do site, indicando de forma mais fácil as páginas do site onde seu cliente quer acessar.

É interessante que sejam empregados verbos ou palavras de ação – tomando cuidado com o excesso de imperativos – que convença o visitante a tomar uma atitude, mas ainda se sentindo convicto de que ele não está recebendo uma ordem, mas sendo o tomador de decisão.

A seleção de palavras-chave deve ter em vista os aspectos emocionais do indivíduo, que remetam a solução imediata do problema que ele quer resolver. Se não houver um envolvimento emocional, é possível que ele não tenha interesse em agir. Ele quer ficar mais forte? Quer ficar mais atraente? Quer fazer um curso para conseguir empregos melhores? Quer começar um relacionamento?

Lembre-se: pessoas compram por impulso, principalmente com facilidades online.

Como dito no primeiro tópico: conheça seu público e você saberá como conduzi-lo.

Use e abuse da criatividade e tenha cuidado com excessos de ousadia, mas não ignore elementos emotivos do consumidor.

Não esqueça que muitos irão comprar algo pelo calor do momento.

 

4 – Layout: O público vai te julgar pela capa.

Desde a organização visual do conteúdo até a estética sugerida pelo seu negócio serão alvos de julgamento do público.

Um site com layout impecável passa credibilidade, ainda que a empresa seja recente no mercado, pois demonstra capricho, preocupação com o usuário. Talvez você já tenha procurado um produto e tenha ido parar num site tão esteticamente pobre que pensou duas vezes antes de clicar em comprar. Isso tudo tem a ver com sensações e percepções que o público tem instintivamente.

Além da beleza, o layout tem a ver com funcionalidade.

Texto blocados, bem separados com a devida área de respiro facilitam a legibilidade e a auxiliam o leitor a encontrar determinada informação de forma separada. Um emaranhando de textos colados uns nos outros, além de remeter a um aspecto de bagunça, impossibilita o usuário encontrar o que ele quer.

Ainda no que tange à legibilidade, lembre de ter cuidado com a tipografia que será utilizada nos textos do seu site, bem como as cores de plano de fundo que irá acompanha-las. Fontes claras em fundos escuros, por exemplo, não são indicadas para textos mais extensos, assim como tons próximos – azul claro, com fundo numa tonalidade de azul próxima – dificultam muito a leitura.

Outro cuidado que deve ser tomado é com os ícones e imagens utilizados. Sejam desenhos lineares, vetores, fotos, as imagens devem – de alguma forma – acrescentar sem poluir, de forma a deixar o conteúdo mais agradável com uma espécie de “roupagem”.

A dica aqui é sempre fazer pesquisas e avaliações qualitativas com sua equipe e alguns voluntários do seu público para averiguar se o site está atendendo ao que se propõe.

 

5 – Performance: responsividade e velocidade de carregamento andam juntas

Numa época em que boa parte dos usuários da internet são heavy users das mídias sociais, foi inevitável sua adequação aos meios mobile. E não seria diferente com os sites.

É muito importante que seu site seja mobile-friendly, promovendo facilidade de navegação e – principalmente – leve.

A leveza a qual nos referimos é a de carregamento das páginas do site. Sabe quando você está ansioso para ter acesso a um vídeo, imagem ou texto do site e a espera parece não ter fim? Então… Evite isso ao máximo. Lembre-se que quanto melhor for a experiência do usuários, maiores são as chances de ele permanecer no site ou – ainda – retornar futuramente.

Inclusive, uma observação interessante, é o Google hoje penaliza os websites que não possuem otimização para dispositivos mobile, o que torna a responsividade cada vez mais como fator primordial.

Uma outra dica é pensar no público que possui limitação visuais e/ou auditivas e pensar em formas que promovam acessibilidade a esses públicos, bem como aspectos referentes a outras línguas que possam gerar fontes de tráfego para o site.

 

Conclusão

Um site é o cartão de visitas fixo – sempre online – da sua empresa. Nele são imprescindíveis as informações sobre o que é sua empresa, quem ela é enquanto marca, sua história, valores, missão, visão, objetivos, dentre outros. E como um cartão de visitas, precisa ter todas informações de contato de forma que sejam facilmente acessíveis.

Considere sempre que o site é como sua casa e seu público é uma visita inesperada, então tenha tudo organizado e clean. De forma que as pessoas se encontrem ali de forma intuitiva, sem precisar de muito esforço para encontrar um determinado cômodo, caso contrário, se tiver muita dificuldade, vai buscar a saída.

A gente deixa essas dicas e – como sempre – estamos abertos para mais que você envie sua sugestão de outros aspectos que devem imprescindíveis na construção de um site.

Se você é desenvolvedor ou webdesigner e quer compartilhar seus conhecimentos conosco, só deixar seu comentário aqui ou entrar em contato com a gente nas redes sociais da Elemento.

 

By | 2018-03-08T10:47:39+00:00 março 5th, 2018|Design, Marketing, Publicidade, Tecnologia|0 Comments

About the Author:

Publicitário que teve a sorte de encontrar paixão em seu trabalho, divertindo-se com cada novo job. Apaixonado por ideias absurdas, branding, cerveja e rock'n'roll, procura inspiração em diversos ritmos, culturas e - algumas vezes - no fundo de uma xícara de café. Embora os boletos o impulsionem pra caramba de vez em quando.