insights

 

Na atual realidade do mundo, a saída do mundo acadêmico para a entrada no mercado de trabalho é uma linha tênue e nem sempre perceptível. Estágios, trainees e outras atividades e necessidades que nos fazem sair do lugar e esclarecer as diferenças entre estudo e trabalho. Sabemos que nem sempre o que se aprende em sala de aula será utilizado da mesma forma no mercado de trabalho, mas preste atenção, o conhecimento é importante. Tudo que aprendemos absorvemos e utilizamos como ferramentas de conhecimento emocional e tácito.

Passamos muitas vezes por fases, e o esforço da adaptação entre os ambientes (acadêmico/mercado) muitas vezes é estressante. A troca de empresas, de pessoas, de chefias, de sistematizações entre outras coisas, fazem o jovem tomar (muitas vezes) decições preciptadas. Além disso, temos o imediatismo em se alcançar o sucesso, profissional e financeiro, atuando sobre o psicológico desses profissionais. Questionamentos do tipo: é isso que o futuro me guarda? seria essa a profissão correta para mim? será que receberei o que eu espero, ou, ao menos o que é justo? seria tudo isso perda de tempo?, são constantes, e se nos atrelarmos e apegarmos as respostas, perdermos aos poucos nossa sanidade.

Particularmente acho que se estamos fazendo o que gostamos, ganharemos o que esperamos. Pode ser papo-furado,  mas bons profissionais que se dispõem e mostrar esforço e dedicação, conseguem alterar o cenário.

 

Aprendendo onde menos esperamos

 

Acredito que as pessoas não devem se dedicar exclusivamente àquilo que se formou, afinal um curso superior hoje, não é a garantia de estabilidade e bons salários como era na geração de nossos pais. O acesso aos estudos e informação está cada vez mais fácil e simples. e isso só ajuda a amadurecer pensamentos e escolhas.

Alcançar o relativo sucesso financeiro, passa por uma diversidade fatores. Pessoalmente, acredito que se investirmos em algo que realmente não gostamos, podemos até iniciar uma jornada aparentemente lucrativa, mas não durará muito. O desgosto tomará conta das suas atividades, levando ao desânimo e então ao tédio. Deixando sua atividade fadada ao fracasso. Como podemos mudar essa figura? Descobrindo nossa paixão, nos atualizando. Descobri sem querer, no início do ano, o podcast do Seanwes. Seus insights sobre educação empreendedora e design são fantásticos e estão fazendo muita diferença para muitas pessoas. Sean divulga em seus podcasts sua técnica pessoal, chamada de Overlap Technic, que consiste em descobrir sua paixão e trabalhar paralelamente ao seu trabalho diário.

 

Crowdlearning

 

Com a diversidade de canais de vídeo-aulas e tutoriais na internet – SkillshareBEVED e outros – nossas possibilidades de trazer isso para a realidade torna-se cada vez mais tangível. O crowdlearning é uma realidade, e está aí para tirarmos vantagem disso. Por exemplo, eu sempre quis aprender mais sobre lettering, no Skillshare, tive a oportunidade de aprender em um curso rápido e com profissional de qualidade, por apenas US$20. Nunca pensei em aprender as técnicas de ilustração e colorização que Palehorse Design utiliza em seus trabalhos, novamente, consegui através do Skillshare. Entenda, o investimento financeiro que se faz é baixo, mas o mais importante aqui, é estar disposto a fazer o investimento de tempo e dedicação.

A diversidade de pessoas, de negócios, de contatos, exige de nós uma constante atualização. Não quer ser o retardatário ou perder um negócio por falta de conhecimento, não é? Ser espírito livre e mente aberta, porém com característica analítica, são características que podem muito bem definir um vencedor. Ser incansável e determinado. Conversando com amigos semana passada eu disse: “Seguir os passos dos pais é sempre mais fácil, você não precisa se esforçar tanto para abrir portas”; mas serei honesto, conseguir abrir portas e conquistar terrenos com o suor de seu próprio esforço é muito mais gratificante.

 

Muitas vezes nos encontraremos desanimados, desmotivados, achando que nossos ganhos e nossas vitórias não é o suficiente. Sempre insatisfeitos, querendo mais e mais. Como resolvi isso? Adotei o conceito do 1% melhor todo dia

 

Nos momentos de dificuldade, devemos nos tornar duros como rochas, nada deve atrapalhar nossa paz de espírito, para encarar de frente todas as adversidades e não desistir, o momento de dificuldade passa, ou ao menos diminui, na primeira boa notícia que recebermos.